CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)

O CRI é um investimento de renda fixa com lastro em fluxos de pagamentos de aquisição de imóveis ou de aluguéis.

Os bens imóveis atrelados a um CRI ficam como garantia da operação por meio da alienação fiduciária. Do ponto de vista do emissor, o CRI é um instrumento de captação de recursos destinados a financiar transações do mercado imobiliário e é lastreado em créditos imobiliários, tais como: financiamentos residenciais, comerciais ou para construções, contratos de aluguéis de longo prazo etc. Somente pode ser emitido por securitizadoras.

O risco do CRI, é que ele não possui o FGC (Fundo Garantidor de Crédito) como fonte de ressarcimento em caso de inadimplência ou falência da instituição que emitiu os certificados). Portanto, além do risco conjuntural, existe o risco da própria instituição. Porém, a empresa que emitiu o CRI ou o agente que captou o crédito pode dar algum tipo de garantia ao investidor, basta ler os termos da aplicação. (Normalmente terras, empreendimentos físicos)

Esses títulos são isentos de taxa de custódia, performance ou administração. Não possui pagamento de Imposto de Renda (IR) sobre lucros. Não possui pagamento de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

A liquidez desses papéis é pequena no mercado secundário, logo, o investidor tem que estar preparado para levar os certificados até o vencimento.

Victor Peixoto/Roberto Ferreira – R&F Partners Investment Solutions

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *