Consultoria de Investimentos

Papo de Mercado: Outro Patamar!

XXXXXX Confecções

  • A controladora é responsável pela divisão industrial do grupo. A totalidade de sua produção é destinada à XXXXXXX, refletindo a forte integração existente entre varejo e indústria. No quarto trimestre de 2019, a XXXXXXXXX produziu 12,4 milhões de peças, 22,6% acima dos 10,1 milhões de itens registrados no 4T18.
  • No acumulado de Janeiro a Dezembro, a produção totalizou 44,8 milhões de peças, 4,1% maior do que o mesmo período do ano anterior. A Guararapes faturou R$1.462,8 milhões para a Riachuelo no 12M19. Os produtos Guararapes representaram 44,4% da venda total de vestuário da Riachuelo neste quarto trimestre. No acumulado do ano, a venda total de vestuário da Riachuelo foi composta por 40,2% de produtos Guararapes.

Lojas XXXXXXXX

  • No decorrer do 4T19, a receita líquida de mercadorias totalizou R$1.809,8 milhões, 11,2% maior que os R$1.627,0 milhões registrados no mesmo período de 2018. No critério “mesmas lojas”, houve um crescimento de 9,8%. Ao logo do ano de 2019, a Companhia apresentou uma curva de melhora ascendente na performance das vendas.
  • A performance apresentada no 4T19, reflete a assertividade das ações tomadas pelo conselho e diretoria no início do segundo trimestre de 2019, onde ajustes importantes foram realizados na operação. Vale lembrar que, a partir de Maio, a Companhia passou a recompor a profundidade dos envios iniciais e a reestabelecer uma estrutura de coleção mais adequada, desenvolvendo um maior equilíbrio entre as participações de itens mais básicos versus itens de maior intensidade de moda.
  • O excesso de variedade foi equalizado e os envios iniciais passaram a respeitar o perfil de demanda de cada região e características específicas de cada loja. A reatividade da cadeia, aproveitando toda a capacidade de reposição por SKU que já temos nos CDs, aprimora e potencializa o desempenho do modelo no momento seguinte aos envios iniciais mais assertivos.
  • O patamar de margem bruta de mercadorias continuou pressionado neste trimestre, ainda que em menor intensidade quando comparado com os 9M19, em função de uma maior participação de celular e de perfumaria em seu mix. O bom desempenho das vendas do moda casa também contribuiu para este cenário. Sendo assim, a margem bruta de mercadorias totalizou 53,0% no 4T19 e 50,5% no 12M19. Excluindo estes efeitos a margem bruta atingiria 58,2% no 4T19 e 55,9% no acumulado do ano.
  • Apesar de ter começado suas atividades há menos de três anos, a operação de e-commerce da companhia vem performando positivamente com crescimentos consistentes e bastante acima da média do setor trimestre a trimestre. Desafios relacionados à navegabilidade para melhorar a conversão do fluxo em vendas estão em pauta para este ano. O “Retire em Loja”é outro destaque positivo. Presente em todas as lojas, com exceção do Estado de SC, 38% dos pedidos do e-commerce são atualmente retirados em loja. Em novembro, a companhia lançou seu novo Aplicativo que passa agora a ganhar upgrades de navegabilidade e agilidade.
  • O conceito do “Cliente no Centro” permeia toda a agenda de Omnicanalidade da Companhia. Proporcionar melhor experiência nas lojas físicas e nos canais digitais de forma integrada é o grande objetivo de frentes como o PDV mobile que já está presente em 37 unidades e estará disponível em 100% das lojas até junho deste ano. O teste piloto do “Self Check Out” também está previsto para ter início em 2020. A instalação de etiquetas RFID é outra frente fundamental para toda esta agenda.
  • Atualmente em fase de testes piloto para 3 possíveis soluções, esta tecnologia começa a ser escalada ainda em 2020. Do lado da Operação Financeira, o conceito que está sendo implementado é o mesmo. Contando atualmente com 9,5 milhões de clientes ativos e mais de 5 milhões de downloads de seu APP, o futuro Banco Midway ancorará o relacionamento com seus clientes, que hoje ocorre através de um cartão de crédito, em uma conta digital seja ela de pagamentos ou corrente.
  • O ciclo financeiro da Companhia encerrou o trimestre em 163 dias, ante 166 dias no 4T18, com destaque positivo na linha de “Fornecedores”, que melhorou 9,4% passando de 78 dias no 4T18 para 85 dias no 4T19. O “Estoque” encerrou o período em 142 dias ante 139 dias do mesmo período de 2018, um crescimento de 2,1%. “Contas a Receber” finalizou em 106 dias, ante 105 dias, 1,0% acima do 4T18. No decorrer do ano, a companhia conseguiu estender seus prazos de fornecedores de confecção e entende haver oportunidades para continuar a ganhar eficiência neste quesito.
  • É importante ressaltar que, apesar da linha “Estoques” encerrar o trimestre em níveis elevados, a maior parte do volume estava em “importação em andamento” e em “matérias-primas”, não comprometendo a qualidade dos mesmos. Ainda assim, a Companhia entende haver oportunidade de evoluir em busca de um patamar mais eficiente de estoque no decorrer de 2020.

Operação Financeira

  • A Receita da Operação Financeira totalizou R$644,5 milhões no 4T19, 12,9% maior que os R$570,9 milhões registrados no mesmo período do ano anterior. No período acumulado de Janeiro a Dezembro, a Receita da Operação Financeira atingiu R$2.492,3 milhões, 16,1% maior que os R$ 2.146,9 milhões apurados no 12M18. No 4T19, os destaques ficaram para as Receitas de Comissões sobre Cartão Bandeira com aumento de 26,7%, passando de R$50,6 milhões no 4T18 para R$64,2 milhões no 4T19 e Receita Financeira de Vdas c/ Juros, Multa e Juros s/ atrasos que apresentou crescimento de 22,5%, passando de R$293,6 milhões no 4T18 para R$359,6 milhões no 4T19.
  • O Resultado da Operação Financeira totalizou R$170,8 milhões no 4T19, 71,1% acima dos R$99,9 milhões apurados no 4T18. No acumulado do ano de 2019, o Resultado da Operação Financeira atingiu R$466,4 milhões, um crescimento de 11,2%. Excluindo os efeitos não recorrentes do 4T18, o Resultado da Operação Financeira cresceria 14,4% no 4T19 e reduziria 0,5% no acumulado do ano. Tais efeitos são referentes a adequação do nível de provisionamento dos processos trabalhistas e do efeito não recorrente referente ao ajuste na classificação dos níveis de risco da carteira de cliente.
  • A receita líquida do Midway shopping totalizou R$22,9 milhões no 4T19, 5,8% maior que os R$21,7 milhões registrados no mesmo período de 2018. No 12M19, a receita líquida do Midway shopping totalizou R$75,9 milhões, 6,2% maior que os R$71,4 milhões registrado em 2018. No quarto trimestre de 2019, o EBITDA do shopping totalizou R$20,7 milhões, com aumento de 4,3% frente aos R$19,9 milhões apurados no 4T18. A margem EBITDA totalizou 90,4% no 4T19, 1,3 p.p. menor que o mesmo período do ano anterior. No 12M19, o EBITDA do Midway Shopping totalizou R$65,8 milhões, 7,8% maior que os R$61,0 milhões registrados em 2018. A margem EBITDA totalizou 86,7%, 1,3 p.p. acima dos 85,4% no 12M18. Além da operação do Shopping Center, o grupo destaca-se por possuir um portfólio representativo de lojas em imóveis próprios. Dentre as 321 lojas da Riachuelo ativas ao final de Dezembro de 2019, 46 estavam instaladas em imóveis pertencentes ao grupo.
  • Desta forma, dos atuais 663,3 mil m² de área de vendas total, 120,2 mil m² (18,1 %) referem-se às lojas localizadas em imóveis próprios. Considerando tais imóveis, juntamente com o centro de distribuição de Natal e as seis plantas de produção industrial, a Companhia possui aproximadamente 715 mil m² em área bruta construída.
  • Receita Líquida e Lucro Bruto A receita líquida consolidada totalizou R$2.439,3 milhões no 4T19, 11,5% maior que os R$2.187,2 milhões apurados no mesmo período de 2018. A receita líquida consolidada é composta pela receita líquida da Midway Financeira (R$607,6 milhões no 4T19), pela receita líquida do Midway Mall (R$22,0 milhões no 4T19) e pela receita líquida de mercadorias (R$1.809,8 milhões no 4T19).
  • No decorrer do quarto trimestre, o lucro bruto consolidado cresceu 5,4%, passando de R$1.418,7 milhões no 4T18 para R$1.495,2 milhões no 4T19. No 12M19 o lucro bruto consolidado atingiu R$4.927,1 milhões, 5,5% maior que o registrado no 12M18. A margem bruta consolidada neste quarto trimestre atingiu 61,3%, 3,6 p.p. menor dos 64,9% apresentados no 4T18. No 12M19, a margem bruta consolidada atingiu 63,1%, uma redução de 1,8 p.p.

Despesas Operacionais

  • As despesas operacionais representaram 34,0% da receita líquida consolidada no 4T19 ante 34,8% reportados no 4T18, uma redução de 0,8 p.p., totalizando R$829,9 milhões no trimestre, 8,9% acima dos R$762,0 milhões apurados no 4T18. No 12M19, as despesas operacionais aumentaram 1,3%, totalizando R$2.823,8 milhões, ou 36,2% da receita líquida consolidada.
  • Excluindo o efeito do IFRS16, as despesas operacionais totalizaram R$898,1 milhões no 4T19 e R$3.076,6 milhões no 12M19, um crescimento de 17,9% em relação ao 4T18 e 10,4% maior que o resultado do 12M18. O crescimento das despesas operacionais no 4T19 é reflexo do aumento das despesas da Operação Financeira, conforme informado anteriormente, e também, da readequação dos níveis de provisão para Participação nos Lucros e Resultados em função da melhora na performance dos resultados apresentados no segundo semestre de 2019.
  • Equalizando este último efeito mencionado, o crescimento seria de 10,6% no 4T19. Despesas Operacionais (R$ Mil) 4T19 4T18 Var.(%) 4T19 (Pró-forma) Var.(%) 12M19 12M18 Var.(%) 12M19 (Pró-forma) Var.(%).

Lucro Líquido

  • O lucro líquido consolidado totalizou R$440,6 milhões no 4T19, 56,5% menor que R$1.012,1 milhões registrados no 4T18. No acumulado de Janeiro a Dezembro de 2019, o lucro líquido atingiu R$592,7 milhões, 52,0% menor que os R$1.235,7 milhões no 12M18. Excluindo os efeitos não recorrentes e do IFRS16 (Pró-forma), o lucro líquido cresceu 32,4% no 4T19, totalizando R$363,3 milhões. No acumulado do ano, o lucro líquido totalizou R$526,5 milhões, 5,7% maior que o apurado em 2018.

Endividamento Líquido

  • Ao final de Dezembro de 2019, as disponibilidades atingiram R$1.569,5 milhões. Os empréstimos e financiamentos totalizaram R$2.826,1 milhões. Sendo assim, a Companhia encerrou o quarto trimestre de 2019 com endividamento líquido de R$1.256,6 milhões ante R$981,0 milhões reportados no 4T18. Excluindo o efeito do IFRS16, a alavancagem financeira líquida da Companhia encerrou o trimestre em 1,2x Ebitda.

Investimentos (CAPEX)

  • No período acumulado de Janeiro a Dezembro de 2019, os investimentos do grupo em ativos fixos totalizaram R$379,4 milhões ante R$385,7 milhões relativos ao mesmo período de 2018. Do montante investido neste período, R$351,1 milhões (93%) foram destinados à Riachuelo, sendo R$ 168,9 milhões para infraestrutura de TI, R$68,6 milhões alocados em lojas novas e R$29,3 milhões em remodelações.

Mediante os resultados apresentados do 4T19 Guararapes segue na carteira da casa. Outro patamar!

O retorno bruto da carteira R&F Partners acumulou -6,42% (somado as operações do Trade Cash + proventos sobre dividendos) no acumulado de 2019 (fechamento 26/02/2020), comparado ao retorno de -9,65% para o Ibovespa no mesmo período. Isso equivale a dizer que a carteira R&F Partners, concentrada em poucas ações, apresentou retorno +3,23% superior ao seu principal índice de referência.

Trade Cash todas as semanas com recomendações de operações day trade, swing trade, futuros e derivativos!

ATENÇÃO ÀS RECOMENDAÇÕES DE CURTO PRAZO DO TRADE CASH!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *