Consultoria de Investimentos

Todos já devem ter se perguntado se em algum momento deveriam contatar uma consultoria de investimentos para cuidar do seu capital. No entanto, no Brasil esta prática ainda é pouco difundida e a pessoa física acaba sendo “assessorada” por gerentes de bancos que estão diante de um enorme conflito de interesses.

Como assim conflito de interesses? Obviamente que se você é um gerente de banco vai indicar os produtos de investimentos do banco e não o melhor produto de investimento do mercado. Mesmo aquele gerente de banco que está tomando cafezinho com você há anos tem suas metas pessoais a serem batidas. Manter meu emprego ou realmente prestar um serviço imparcial? O que você faria?

Por essas e outras que nos Estados Unidos e principais centros europeus a prática de consultoria de investimentos é muito difundida entre as pessoas que possuem patrimônio acima de 1 milhão de dólares. Ao contratar o serviço de uma casa de consultoria de investimentos você e seus investimentos estão diante de uma nova normal, ou seja, essas casas irão buscar no mercado financeiro, produtos de investimentos que se adequem ao perfil de cada investidor, ou seja, são profissionais montando um quebra cabeça com seu capital.

Como isso funciona na prática: no mercado financeiro existem vários fundos, com riscos, performance, liquidez e taxas administrativas diferentes, sendo de responsabilidade do consultor de investimentos apontar qual melhor se encaixa em seu portfólio de investimentos.

No mercado de fundos de investimentos doméstico é comum os administradores dos fundos aplicarem taxas de até 3.5% a.a, sobre o montante investido em determinado fundo. Ou seja, se você aplicou 15 milhões em um fundo com essa taxa de administração ao final do ano irá deixar para o fundo um montante de 525 mil reais, sendo que o consultor poderia lhe apresentar um produto de investimento com o mesmo risco x retorno sob uma taxa de administração muito mais barata, podendo lhe economizar alguns milhares de reais ao longo do ano.

Essa prática não se restringe apenas aos fundos e sim a todos os produtos do mercado financeiro. O nome diz por si só “mercado financeiro”, então temos que observar todas as prateleiras de investimentos e decidir a que melhor nos cabe.

 

Bons investimentos!

 

Roberto Ferreira/Victor Peixoto – R&F Partners Investment Solutions

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *